Após a sequencia de eventos chocantes e de tirar o fôlego apresentadas em A Tormenta de Espadas, O Festim dos Corvos segue por um caminho mais tranquilo.

O quarto livro da série tem pontos de vista dos seguintes personagens: Cersei Lannister, Jaime Lannister, Brienne de Tarth, Samwell Tarly, Arya Stark, Sansa Stark, além de capítulos que se centram nas Ilhas de Ferro e outros que se centram em Dorne. O legal desses capítulos é que os nomes que aparecem são coisas como “O pirata”, “A filha da lula gigante”, “A princesa na torre”, entre outros, e nos apresentam personagens que nunca tínhamos tido contato antes.

Após a morte de Joffrey em seu casamento e do assassinato de Tywin Lannister pelas mãos do filho Tyrion, Cersei se torna a regente de Tommen. As relações políticas de Porto Real estão frágeis e está cada vez mais difícil de encontrar aliados, e a rainha terá um trabalho árduo para tomar conta das coisas a seu próprio modo.

Nem mesmo Jaime é poupado da fúria e dos insultos de Cersei e é por isso que parte em uma missão rumo a Correrrio para conquistar o baluarte dos Tully, mas Jaime há apenas pouco tempo jurara a Catelyn Stark que traria suas filhas de volta e também juraram não voltar a pegar em armas contra os Tully ou os Stark, então como conquistar o castelo?

Brienne está em busca de Sansa Stark, em uma tentativa de cumprir seu juramento para com Catelyn Stark, mas as terras de Westeros estão assoladas por foras da lei, saqueadores e pessoas da pio índole possível, a terra está devastada e repleta de cadáveres e parece cada vez mais impossível que Sansa esteja viva.

Sansa está viva (risos), mas está no Ninho da Águia, fingindo ser a filha bastarda de Mindinho. Seus cabelos foram escurecidos e ela se veste com simplicidade, tudo isso para se proteger depois do Casamento Vermelho e da queda de Winterefell. Mesmo assim Sansa terá de passar por provações e apesar de ter que fingir ser outra pessoa precisa lembrar quem realmente é.

Arya embarcou rumo a Bravos no livro anterior. Ela finalmente chega ao seu destino e encontra a Casa do Preto e do Branco. Lá ela começara a servir o Deus de Muitas Faces e iniciara seu árduo treinamento.

A Agulha era Robb, Bran e Rickon, a mãe e o pai, até Sansa. Agulha era as muralhas cinzentas de Winterfell, e o riso do seu povo. Agulha era as neves de verão, as histórias da Velha Ama, a árvore-coração com suas folhas vermelhas e seu aspecto assustador, o cheiro quente de terra dos jardins de vidro, o som do vento do norte estremecendo as janelas do seu quarto. Agulha era o sorriso de Jon Snow.

Enquanto isso nas Ilhas de Ferro a morte de Balon Greyjoy põe em questão quem deverá sucede-lo, seu irmão leal e dedicado Victarion? o sacerdote afogado Aeron? seu irmão exilado Euron? ou sua filha Asha? Mas os homens de ferro nunca foram governados por uma mulher e não parecem querer começar agora….

Em Dorne a princesa Myrcella, irmã de Tommen, é protegida de Doran Martell. Porém há muitas pessoas ao seu redor que pretendem conspirar contra a princesa e sua estada pode não ser tão tranquila quanto parecia.

Os dragões não são nem machos nem fêmeas, Barth viu aí a verdade, mas ora uma coisa, ora outra, tão mutáveis como chamas. A língua nos induziu em erro durante mil anos. A escolhida é Daenerys, nascida entre sal e fumaça.

Eu gostei do livro, apesar de ele ser o mais “chato” dos quatro que li até agora (risos). Não sei se alguma coisa pode superar A Tormenta de Espadas, mas ainda tenho expectativas com A Dança dos Dragões. Os eventos de O Festim dos Corvos não nos mostram o que está acontecendo com Daenerys, Tyrion, Jon entre outros personagens que amamos. E até mesmo Sansa e Arya tem apenas três capítulos cada. De fato o que descobri ao finalizar a leitura e me deparar com uma nota deixada por George, é que o livro que ele estava escrevendo estava ficando muito grande. Portanto ele resolveu dividir a história em dois, mas dividiu-a pelos personagens.

Fico feliz de ter terminado mais um livro da série, e o segundo lido em apenas dois meses. Mal posso esperar para acompanhar os desenrolares dessa série magnifica.

Acompanhe o Prateleira de Ideias nas redes socias:

facebook | instagram | youtube | goodreads

Anúncios

2 comentários sobre “O Festim dos Corvos – George R.R. Martin

  1. Martin afirmou que os nomes de capítulos diferentes têm significado. Eu já reli bastante a série e não posso afirmar que o encontrei.

    FESTIM é um livro peculiar, pois foi um filho não planejado. Martin tinha a intenção de dar um salto de 5 anos entre os Tormenta de Espada e Dança dos Dragões, para que os personagens envelhecessem. Mas viu que não funcionaria e teve que continuar de onde parou.

    Não é a toa que os primeiros livros eram lançados a cada dois anos e agora demoram para sair.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.