Logo após terminar o primeiro volume da trilogia 1Q84 (clique aqui para ler a resenha) comecei a ler o segundo volume. O livro continua exatamente onde o primeiro parou e por já estar mais acostumada com o estilo de escrita e de narrativa de Murakami consegui mergulhar facilmente na história. Um dos pontos mais importantes a se ressaltar sobre esta “experiência” de leitura que é ler esse autor é com certeza sua capacidade de envolver o leitor.

Não existe nada neste mundo que não tenha saído do coração de alguém.

De certa maneira este segundo livro sofre da síndrome de segundo livro, ou seja em partes ele é um pouco enrolado. Mas apesar disso, de não estar acontecendo tanta coisa assim, o autor consegue de alguma forma manter o ritmo do livro interessante. E acredito que agora tenho uma opinião formada sobre os dois personagens principais, Aomame e Tengo. De fato eu gosto bastante de Aomame e das partes narradas por ela, especialmente dos acontecimentos impactantes e das explicações que ocorreram neste segundo volume. Já Tengo eu não estou gostando tanto. As narrações dele foram muito chatas e até meio repetitivas e parece que nada aconteceu. Talvez o personagem venha a ter um desenvolvimento melhor no terceiro livro, mas não sei.

Sim. Existem duas luas. Esse é o sinal de que ocorreu a mudança nos trilhos. A distinção entre os dois mundos se dá pelas luas. Mas isso não significa que todas as pessoas neste mundo sejam capazes de enxergá-las. Não. Não mesmo. O mais certo seria dizer que a maioria nem sequer percebe a existência delas. Em outras palavras, são poucas as pessoas que sabem que esse é o mundo de 1Q84.

Sobre a história, de certa forma é muito curioso pensar sobre do que se trata 1Q84. Me faltam adjetivos para descrevê-lo propriamente a palavra que me parece mais adequada é “estranho”. Estranhamento em partes por conta da confusão do leitor ao se deparar com este “mundo novo”,  e este choque e estranhamento experienciados pelo leitor são acentuados pelo fato de que ambos os personagens principais não tem ideia do que está acontecendo. Eles estão tão perdidos quanto nós. Eles sabem tanto quanto nós, ou melhor não sabem de nada. Nesse sentido, apesar de frustrante, a narrativa fica interessante justamente pela vontade de desvendar o mistério que ela é.

Outra coisa que me chamou atenção neste segundo volume foi a densidade da história. A trama está se tornando mais complexa e caótica, os personagens estão cada vez mais embrenhados neste mundo insólito que é 1Q84, e talvez não seja possível que ambos saiam dele com vida. Me pergunto se chegarei a descobrir todos os mistérios que esta narrativa guarda, mas também me questiono se a graça de lê-la não estaria justamente nisso: nunca desvendá-la totalmente.

Acho que você está lendo muita ficção científica. Não. Este não é um mundo paralelo. Não é que existam um mundo de 1984 e outro de 1Q84 em desenvolvimento paralelo. O mundo de 1984 não existe mais em nenhum lugar. Tanto para mim quanto para você, agora só existe o ano de 1Q84.

Acompanhe o Prateleira de Ideias nas redes socias:

facebook | instagram | youtube | goodreads

Anúncios

4 comentários sobre “1Q84 (Livro 2) – Haruki Murakami

  1. Já li esse livro e até gostei apesar de não considerá-lo o melhor trabalho do Murakami.Meu livro favorito dele é “Minha Querida Sputnik”,mas também adoro o livro de contos “Homens Sem Mulheres”.Enfim,é um grande autor e,inclusive,ele é considerado o sucessor do Yukio Mishima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s