Desde 2014 tenho este livro na lista do “to read” do meu goodreads e apesar da demora, finalmente li essa obra de arte.

Darcy Patel é uma escritora de apenas dezessete anos que consegue um grande contrato para publicar seu livro Além-Mundos e decide se mudar para Nova York. Lizzie está voltando para casa quando o aeroporto é invadido por terroristas que começam a atirar em todo mundo e numa tentativa de se fingir de morta ela acaba atravessando para o “outro lado” de verdade. Lizzie é a personagem do romance de estreia de Darcy. Scott Westerfeld narra a história das duas em capítulos alternados durante o livro e é simplesmente incrível.

O que um “final feliz” significava na vida real, de qualquer maneira? Nas histórias você simplesmente dizia: “E eles viveram felizes para sempre” e pronto. Mas na vida real as pessoas tinham que continuar vivendo, dia após dia, ano após ano.

20170219_112109

Eu fiquei tão imersa na leitura que no primeiro dia que sentei para ler o livro devorei mais de 200 páginas. A escrita de Scott está perfeita. Já sou fã dele desde os tempo de Feios, uma das minhas séries favoritas e fico feliz em constatar que Além-Mundos ganhou seu lugar junto a minha lista de favoritos.

A narração de Darcy é feita em terceira pessoa e o tempo de todo o desenrolar da trama da personagem é bem longo, vários meses se passam e é muito bom poder ver o quanto Darcy muda durante o livro, ela cresce e amadurece e sua escrita também, afinal mesmo tendo finalizado seu primeiro livro em apenas trinta dias ela precisa passar pelo cansativo processo de reescrita e revisão do livro, e é palpável durante a leitura o crescimento da personagem como autora.

O que importava era a conexão, o espaço formado entre as duas, uma fatia do universo transformada em algo particular e inviolável.

Dividir o ato de escrever o transformava em algo novo, a diferença entre a realidade e um cartão-postal, entre fones de ouvido baratos e um show ao vivo com uma plateia lotada, entre um dia nublado e um eclipse total.

É bem maluco ler este livro porque ele é uma especie de meta ficção? Afinal ele fala sobre o processo de escrita e existe um livro dentro do livro (deu pra entender?). O fato é que é impossível não se identificar com milhares das falas e experiências pelas quais Darcy passa durante a história, e tudo o que ela representa são questionamentos e dilemas comuns a todo e qualquer escritor.

– Estou falando de personagens. Como eles morrem um pouco quando você chega à última página.

A narração de Lizzie por sua vez é em primeira pessoa e no começo apesar de ter gostado dos capítulos dela achei eles mais “bobo” mas, é isso que torna tudo mais incrível pois como mencionei acima o livro de Darcy passa pelo processo de reescrita então a história e Lizzie melhora muito, inclusive rumando para uma direção bem mais sombria com algumas cenas que me fizeram ficar arrepiada, especialmente porque eu estava lendo de madrugada, rs.

Darcy passou os olhos pelos primeiros parágrafos. Síndrome do impostor significava basicamente o que o nome dizia – acreditar que tudo que você conseguiu foi fruto de sorte, de fraude ou de trapaças. Temer que tudo lhe seria tomado uma vez que descobrissem a falcatrua. Dá pra pegar uma síndrome só de procurar no Google?

O livro, apesar de ter mais de quinhentas páginas, não perde o ritmo por nem um momento. É incrivelmente viciante e envolvente e a todo momento em que eu parava de ler ou estava fazendo outra coisa eu ficava com água na boca querendo mais e me perguntando o que viria a acontecer a seguir. Adorei a imersão que esta leitura me proporcionou.

– Sabe quando você termina um livro e tem a sensação de que todas aquelas pessoas nele foram para uma festa sem você?

20170219_112102

Recomendo imensamente a leitura do livro para qualquer escritor ou aspirante a escritor, pois é ótimo ler e se identificar com os questionamentos de Darcy e também aprender junto com ela. Além-Mundos também entrou para a lista de livros que eu gostaria de ter escrito, porque sério que ideia genial, costurar essas duas histórias e todo o desenrolar da narrativa, enfim um must read.

Não posso deixar de mencionar minhas personagens secundárias favoritas, Mindy e Jaime que fazem parte da narração de Lizzie. Elas são super importantes para a história de suas próprias maneiras e dão muito suporte para que a história da Lizzie se desenvolva. Já na parte da Darcy eu me apaixonei pela irmã mais nova dela Nisha e seus comentários sarcásticos e inteligentes. E também gostei da complexidade de Imogen.

Além-mundos me ajudou a curar uma ressaca literária e mergulhar em suas páginas foi maravilhoso, exceto pelo fato de que agora após terminar me descubro outra vez onde estava, de ressaca! Mas vale a pena.

Acompanhe o Prateleira de Ideias nas redes socias:

facebook | instagram | youtube | goodreads

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s