Demian, romance marcante como divisor de águas na trajetória do autor alemão, Hermann Hesse é um romance extremamente complexo.

Dois mundos diversos ali se confundiam; o dia e a noite pareciam provir de polos distintos.

Como o subtítulo diz, história da juventude de Emil Sinclair, no romance de formação acompanhamos o crescimento do protagonista. No início com seus dez anos de idade Sinclair já menciona a dualidade com que vê o mundo, dividindo-o em mundo luminoso, sua casa, a família, a religião que os cerca e o mundo sombrio, aquele que traz dentro de si, os pensamentos que não deveriam existir, enfim o tempo todo permeia a vida do personagem essas contradições, esses opostos de luminoso, escuro, homem, mulher, do individual e do coletivo e etc. Aos dez anos de idade Sinclair conhece Demian, este que o mudará para sempre e terá grande impacto em toda sua vida, de início com sua presença constante, e mesmo depois à distância, exercendo atração e influência sobre o protagonista.

Hoje sei muito bem que nada na vida repugna tanto ao homem do que seguir pelo caminho que o conduz a si mesmo!

20170204_130814

A jornada pela qual passa o personagem no livro é turbulenta e recheada de sofrimentos, mas também de descobertas, do autoconhecimento. Quando mais eu lia mais intrigada ficava para descobrir o que viria a seguir, porque ao passo que tudo que é lido parece uma loucura completa, ao mesmo tempo tudo faz um enorme sentido, para apenas mais adiante na leitura parecer que não entendemos coisa alguma. A construção e a desconstrução inseridas juntas no processo de leitura. Dizer que Demian me fascinou não chega a explicar o efeito que este livro teve sobre mim e as cinco horas que passei devorando a história foram incríveis.

A ave sai do ovo. O ovo é o mundo. Quem quiser nascer tem de destruir um mundo. A ave voa para Deus. E o deus se chama Abraxas.

20170204_131111

Apesar de ao fim da narrativa o personagem ter apenas dezoito anos, senti que uma vida toda foi contada durante a história. O peso das reflexões e descobertas feitas por Sinclair e de toda sua jornada rumo a si mesmo, parecem durar toda a sua vida, mas não é durante a adolescência que isso acontece e de certa forma faz muito sentido. A escrita do autor não é simples, mas flui com uma delicadeza impressionante. Não há muitos diálogos na narrativa, o que não é probelma algum pois ela está recheada de muitas observações filosóficas a cerca do individualismo, do autoconhecimento e do que segundo Sinclair é a “Jornada rumo  a si mesmo”.

Queria apenas tentar viver aquilo que brotava de mim mesmo. Por que isso me era tão difícil?

Tanto na orelha do livro, escrita por Rinaldo Gama, quanto no posfácio de Ivo Barroso, há menção de que a figura de Hesse se mistura a de Sinclair e que de certa forma o livro acaba por conceber uma espécie de biografia do autor.

Sinto que Demian é aquele tipo de livro que deve ser lido muitas vezes, pois cada leitura será diferente, afinal mudamos e com nossas mudanças as nossas interpretações também podem se modificar. Este pensamento, de voltar a reler uma obra que me deleitou tanto, me atrai enormemente. Por agora continuo com meus questionamentos a respeito da obra, que parece me revelar seus mistérios pouco a pouco, e fico feliz em colocá-la na lista de livros favoritos.

Este foi o livro escolhido para a Alemanha no meu projeto A Volta ao Mundo em 80 Livros. Para saber mais clique aqui.

Acompanhe o Prateleira de Ideias nas redes socias:

facebook | instagram | youtube | goodreads

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s