O relato deste livro me permitiu conhecer profundamente a personalidade e a vida de Kafka, por meio de seu relacionamento conturbado com o pai. Eu já conhecia Kafka, por alguns de seus outros livros e também por obras de outros autores inspiradas em sua pessoa, mas admito que não era essa visão que eu tinha de como ele era.

Tu me perguntaste recentemente por que afirmo ter medo de ti. Eu não soube, como de costume, o que te responder, em parte justamente pelo medo que tenho de ti, em parte porque existem tantos detalhes na justificativa desse medo (…)

2015-02-16 18.11.20

O livro é na verdade uma carta, de quase cem páginas, destinada ao pai, onde sem restrições Kafka desabafa e culpa o pai por suas inseguranças, medos e todos os defeitos que ele julga ter. A forma como ele escreve, referendo-se a si mesmo como ‘a criança’ em muitas partes, narrando os eventos que se passavam de uma forma exterior a ele próprio, só fazem aumentar o próprio sofrimento que foi causado a ele.

Desde a infância, sempre reprimido, insultado e por vezes até rejeitado pelo pai, Kafka afirma que a educação que recebeu foi fator determinante para sua personalidade problemática, seu físico fraco e por seus problemas em relacionamentos. A  família toda se relacionava de forma difícil, devido a austeridade e aversão do pai aos próprios filhos, e a mãe como intermediadora da guerra entre ambos. Como é citado no livro, o pai costumava exigir certas posturas dos filhos, sempre gritando e de forma rude, as quais nem mesmo ele cumpria, tornando assim confuso o sentido de suas ações para os filhos.

Para mim sempre foi incompreensível tua falta total de sensibilidade em relação à dor e à vergonha que podia me infligir com palavras e veredictos; era como se tu não tivesses a menos noção da tua força.

As descrições de Kafka são tocantes, mesmo quando descreve alguns poucos momentos afetuosos com o pai, como quando se encontrava no leito de uma gripe que quase o matou e o pai simplesmente o cumprimentou com a mão parado na soleira da porta. De forma inigualável consegui sentir toda a aflição, toda a culpa, esta presente em peso no livro, que Kafka sentiu. Todo o seu desejo pela aprovação daquele que ele sempre tentou agradar e ao mesmo tempo temia mais do que tudo.

Carta ao Pai nos mostra o peso que relacionamentos familiares (principalmente o paterno nesse caso) tem na formação de inúmeros aspectos de uma pessoa. Como muitas vezes somos definidos por algo muito além de nossa própria escolha.

Este foi o livro que escolhi para a República Checa no projeto A Volta ao Mundo em 80 Livros, para saber mais clique aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s